terça-feira, 25 de setembro de 2012

Instituto Geológico participa do "Simulado de Abandono Emergencial de Área de Risco" em Ubatuba

 
 
 
 
No dia 21 e 22 de setembro de 2012 os pesquisadores Lídia Keiko Tominaga e Rogério Rodrigues Ribeiro acompanhados dos técnicos de apoio Daniel R. de França e Valentim O. dos Santos Filho participaram do “Simulado de Abandono Emergencial de Área de Risco” na Comunidade do Perequê-Mirim em Ubatuba. O exercício foi organizado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC) em parceria com a Secretária Nacional de Defesa Civil (SEDEC). Participaram do simulado a Prefeitura de Ubatuba, por meio do Núcleo de Defesa Civil (NUDEC) da Secretaria de Segurança Pública e defesa Social e Secretaria de Cidadania e Desenvolvimento Social, representantes da Regional de Defesa Civil (REDEC I-3), da Rede Nacional de Emergência de Radioamadores (RENER), Polícia Militar e Rodoviária, Corpo de Bombeiros, Socorristas do SAMU, e moradores da comunidade.

O objetivo foi simular uma ocorrência de chuvas intensas (acumulado superior a 300 mm em 72 horas), provocando um deslizamento e o soterramento de uma pessoa. Foi ensaiado como seria realizado o isolamento da área afetada e a remoção preventiva dos moradores do entorno. O exercício teve como foco a capacitação dos moradores, para que saibam quais são os procedimentos seguros e eficazes no momento de necessidade e preparar as equipes de atendimento emergencial para que possam agir prontamente em uma situação real.


A participação do Instituto Geológico (IG) no exercício foi simular uma avaliação geotécnica (que em uma situação real, aconteceria após alguns dias do ocorrido) para avaliar as condições de saturação de água no solo (acúmulo de água) e a situação das encostas (blocos de rochas soltos, solo exposto, árvores e postes tortos, rachaduras recentes em muros e paredes, desníveis aparentes). Para uma avaliação geral da área através de imagens aéreas foram realizados sobrevoos com o helicóptero Águia 12 do Grupamento de Radiopatrulha Aérea da Polícia Militar do Estado de São Paulo (GRPAe). Na Escola Municipal Maria da Cruz Barreto utilizada como abrigo foram realizadas palestras e atividades com os participantes, as crianças receberam cartilhas para colorir da Defesa Civil e do IG receberam a Coleção Geonatural nº 01 – “Você Sabe o que é Deslizamento?”, Caderno de Educação Ambiental - "Desastres Naturais" e para as representações e educadores foram distribuídos o livro “Desastres Naturais – Conhecer para prevenir”.


O exercício simulado faz parte do Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil do Governo Federal instituído no começo de 2012. A experiência do IG no mapeamento de áreas de risco de Ubatuba, realizado em 2006, foi fundamental para o desenvolvimento deste simulado. A partir do mapeamento de riscos de escorregamentos e inundações foi possível a prefeitura municipal e a sua defesa civil realizarem o monitoramento das áreas de risco do município. O mapeamento foi desenvolvido no escopo de termo de cooperação técnica entre o Instituto Geológico (IG) e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC)
.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Curso “Proteção das Águas Subterrâneas no Estado de São Paulo”será realizado em Presidente Prudente


O Curso “Proteção das Águas Subterrâneas no Estado de São Paulo”, organizado pela CETESB e pelo IG será realizado em Presidente Prudente nos dias 09 e 10 de outubro de 2012.

O objetivo do curso é disseminar a importância dos perímetros de alerta de poços de abastecimento para proteger a qualidade da água captada, vulnerabilidade à poluição e instrumentos legais de proteção de aquíferos.

O curso é voltado para profissionais que atuam na área pública (municipal, estadual e federal), em concessionárias de água e nos comitês de bacias.

Local: Anfiteatro 1 da UNESP - Universidade Estadual Paulista. Rua Roberto Simonsen, 305 Presidente Prudente


Data: 09 e 10 de outubro de 2012
Horário: 8h30 às 17h30
Carga horária: 16 horas
Número de vagas: 80

Programa:

Dia 09/10/2012

Aula 1 - Características gerais das águas subterrâneas no Estado de São Paulo
Claudia Varnier – Instituto Geológico IG/SMA
 
Aula 2 - Vulnerabilidade de aquíferos à poluição e perímetros de proteção de poços
Claudia Varnier – Instituto Geológico IG/SMA


Dia 10/10/2012


Aula 3 - Fontes de Poluição e padrões de qualidade dos solos e águas subterrâneas - Mara Magalhães Gaeta Lemos - CETESB

Aula 4 - Uso do solo e competência municipal
Marco Antônio Gomes - SMA/CPLA

Inscrições até 04/10, por e-mail a treinamento@cetesbnet.sp.gov.br contendo: nome, entidade, endereço, e-mail e telefone do participante.

Outras informações: CETESB - Setor de Desenvolvimento e Pesquisa - ETGD, 
pelo telefone: (11) 3133-3606 ou (11) 3133-3658

Realização no âmbito do Projeto Aquíferos:

Governo do Estado de São Paulo
Secretaria de Estado do Meio Ambiente - SMA
Instituto Geológico - IG
Companhia Ambiental do Estado de São Paulo - CETESB

Apoio: 
 
UNESP - Presidente Prudente
CBH- PP
HIDRAUPOÇOS
DAEE - Presidente Prudente
SABESP - Presidente Prudente

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Pesquisadores do IG participaram do 34º Congresso Internacional de Geologia na Austrália

  Foto: Alethéa E. M. Sallun - Brisbane Convention & Exhibition Centre
 
Os pesquisadores Alethéa Ernandes Martins Sallun e William Sallun Filho, ambos do Núcleo de Geologia Geral do Instituto Geológico (IG), participaram do 34º International Geological Congress - IGC que aconteceu entre os dias 05 e 10 de agosto no Brisbane Convention and Exhibition Centre, localizado na cidade de Brisbane, estado de Queensland, Austrália. Na ocasião os pesquisadores apresentaram trabalhos científicos, para divulgar resultados de projetos de pesquisa do Instituto Geológico. A participação dos pesquisadores no evento teve apoio financeiro da FAPESP (Processos 2010/10792-3 e 2011/10822-2).

O tema geral do evento foi “Revelando o nosso Passado e Futuro”, e buscou refletir o papel crucial que as geociências desempenham na busca de para o desenvolvimento sustentável e mostrar como as geociências, contribuem diretamente para o uso responsável dos recursos naturais, na melhoria da gestão dos recursos hídricos e na mitigação de riscos geológicos. O evento contou com a participação de 6.012 congressistas de 112 países diferentes, apresentação de mais de 3712 trabalhos orais e 1469 trabalhos pôster, através de 220 Sessões Científicas com cerca de 35 simpósios simultâneos diariamente, além de 05 Sessões Plenárias e reuniões de negócios realizadas à noite.

Os trabalhos apresentados pelos pesquisadores foram:

SALLUN, A.E.M.; SMITH, D.B.; XAVIER, B.C.; ROBERTO, C. L. F. A.; CESARINO, A. Establishment of natural geochemical background values in the State of São Paulo, Brazil. In: 34th International Geological Congress, 2012, Brisbane, Austrália. p. 2195.

SALLUN FILHO, W. ; CORDEIRO, B. M. ; KARMANN, I. Karst geology and geomorphology of the André Lopes carbonate plateau, southeastern Brazil. In: 34th International Geological Congress, 2012, Brisbane, Austrália. p. 527.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Instituto Geológico no X Diálogo Interbacias de Educação Ambiental em Recursos Hídricos


 
O Instituto Geológico (IG) esteve presente com estande de divulgação científica no X Diálogo Interbacias de Educação Ambiental em Recursos Hídricos, que aconteceu entre os dias 10 a 13 de setembro de 2012, na cidade de São Pedro-SP.

O Diálogo Interbacias é um Projeto de Educação Ambiental, contínuo e permanente de integração de ações educativas dos 21 Comitês das Bacias Hidrográficas que proporciona entre outros fatores a construção de valores e a aquisição de conhecimentos, atitudes e habilidades voltadas para a participação responsável na Gestão das Águas, com objetivo de discutir e avaliar os resultados da educação ambiental e a gestão dos recursos hídricos no Estado de São Paulo.

O IG possui uma política de fomentar a divulgação do conhecimento das geociências, por meio da publicação de resultados de pesquisas científicas e atividades técnicas, despertou interesse dos membros dos Comitês de Bacias Hidrográficas, prefeitos municipais, vereadores, educadores, técnicos de órgãos públicos e privados, ambientalistas e da sociedade civil em geral.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O Dia Estadual da Mineração é comemorado no Estado de São Paulo no dia 09 de setembro desde 2009

Lei Estadual Nº 13.581, de 18 de Agosto de 2009 Institui o “Dia Estadual da Mineração”.

Apesar de a Mineração no Estado de São Paulo não ser de metais ou gemas, considerados minerais de maior valor agregado, a base da produção mineral paulista constitui-se da extração de areia, cascalho, argilas (comum e plástica) e de pedras britadas. Segundo o Anuário Mineral Brasileiro (2006), o Estado de São Paulo produziu substâncias minerais no valor superior a R$ 2 bilhões, de um total nacional de quase R$ 31 bilhões, ou seja, mais de 6% da produção do país.

Com base nesses valores, esse desempenho coloca o Estado de São Paulo em quarto lugar no cenário da produção mineral brasileira, atrás apenas de Minas Gerais, Pará e Goiás. A mineração paulista é constituída basicamente de minerais não metálicos, extraídos em pequenas e médias minerações (cerca de 2500 lavras em atividade) e comercializados ou utilizados pelos próprios produtores, predominantemente, dentro dos limites do território do Estado.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Treinamento Técnico “Enchentes e Inundações: Fundamentos e Técnicas de Mapeamento de Riscos” promovido pelo Instituto Geológico foi encerrado com atividades práticas em campo

O Instituto Geológico (IG), com o intuito de capacitar o seu quadro de funcionários e aprimorar o capital humano da Instituição, realizou mais um Treinamento Técnico em Geociências. O tema do treinamento foi “Enchentes e Inundações: Fundamentos e Técnicas de Mapeamento de Riscos”, organizado pelo Pesquisador Paulo César Fernandes da Silva e pelo Especialista Ambiental Eduardo de Andrade. Além destes profissionais contou com o apoio docente da Pesquisadora Mirian Ramos Gutjahr.

O curso foi composto por aulas teóricas (28 de agosto de 2012) e práticas (30 e 31 de agosto de 2012) e teve como objetivo capacitar os funcionários de apoio à pesquisa na percepção do Risco Geológico, em especial aos ligados aos processos fluviais (Enchentes e Inundações). A aula teórica abordou conteúdos como fundamentos de Climatologia, noções de Geomorfologia aplicada à dinâmica fluvial, noções de enchentes e inundações, metodologia de mapeamento de risco à inundação e de elaboração de cartas temáticas. Além disso, a aula buscou demostrar a base cientifica, os procedimentos e os desafios metodológicos envolvidos na tarefa de identificação e mapeamento de situações de risco associadas à dinâmica fluvial.

As atividades de campo foram realizadas no vale do Paraíba, na cidade de Guaratinguetá. Os bairros visitados foram Jardim Tamandaré, Bairro Pedreira, Chácara Selles, Jardim Primavera, Beira Rio, Jardim esperança e Chácara Agrícola. Utilizando como base os estudos elaborados pelo IG de Avaliação e Mapeamento de Risco de Inundações, cartas topográficas, Sistema de Posicionamento Global (GPS) e imagens de satélite o curso proporcionou aos participantes o entendimento dos processos fluviais e as consequências das alterações do uso do solo, além de apresentar as metodologias empregadas na cartografia de risco.

O curso também contou com a participação de agentes municipais de defesa civil dos municípios de Guaratinguetá, Caraguatatuba e São Luiz do Paraitinga, técnicos do Centro nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) e da ONG Vale Verde, todos envolvidos com os temas abordados no curso. Esta atividade compõe o Plano de Ação do Programa Institucional de Prevenção de Desastres.


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Pesquisadora do Instituto Geológico participa do XI Congresso Latino-Americano de Hidrogeologia


No período de 20 a 24 de agosto de 2012, a pesquisadora do Instituto Geológico (IG) Claudia Luciana Varnier participou do “XI Congreso Latinoamericano de Hidrogeología, realizado na Cidade de Cartagena de Índias (Colômbia)”. Este evento foi organizado pela ALHSUD (Associação Latino-Americana de Hidrologia Subterrânea para o Desenvolvimento) e é um dos mais prestigiados eventos de hidrogeologia na América Latina, que reúne especialistas dos mais importantes centros em geoquímica isotópica, contaminação de águas subterrâneas, modelagem e gestão de aquíferos.

A participação da pesquisadora no evento, com apresentação oral do trabalho intitulado “Relación entre la urbanización y la contaminación por nitrato en el Sistema Acuífero Bauru (Ciudad de Bauru, Brasil)”, permitiu que fosse divulgado parte dos resultados inéditos correspondentes ao projeto de cooperação entre os Institutos Geológico (IG/SMA), de Geociências (IGc-USP) e a Universidade de Waterloo (Canadá). O trabalho ressaltou contribuições científicas pioneiras na área de hidroquímica do nitrogênio em aquíferos contaminados por sistemas de saneamento frente aos padrões de ocupação urbana. Além de grande alcance social, cabe salientar que o problema de contaminação da água subterrânea por nitrato tem afetado inúmeros municípios paulistas e brasileiros colocando em risco a saúde da população. Com a participação neste congresso foi possível também conhecer os trabalhos desenvolvidos em outros países, permitindo uma troca de conhecimentos e interação com outras instituições. Salienta-se que os conhecimentos e experiências ali adquiridos vêm de encontro com as linhas de pesquisa do Núcleo de Hidrogeologia e que contribuirão para o desenvolvimento de outros projetos em andamento.

sábado, 1 de setembro de 2012

Resultado do mapeamento de áreas de risco de Guaratinguetá elaborado pelo IG é apresentado em evento técnico

 
 No dia 29 de agosto de 2012 os pesquisadores do Instituto Geológico (IG) Maria José Brollo, Paulo César Fernandes da Silva, e Lídia Keiko Tominaga participaram de reunião técnica em Guaratinguetá com o objetivo de apresentar e discutir os resultados dos estudos de avaliação e mapeamento de áreas de risco do município. 

O evento foi promovido pela Defesa Civil Municipal (COMDEC) e contou com a participação de técnicos da administração municipal (gabinete, planejamento, serviços urbanos, meio ambiente, saúde, educação), além de agentes de defesa civil, bombeiros, entre outros.  

Foram tratados aspectos metodológicos sobre perigos e riscos de eventos geodinâmicos (escorregamentos, inundações, erosão, colapso de solo), as escalas de mapeamentos regional e local (para planejamento do uso do solo e monitoramento de áreas de risco), além de detalhar os resultados e reforçar as recomendações para enfrentamento das situações de risco no município.  

O mapeamento foi desenvolvido no escopo de termo de cooperação técnica entre o Instituto Geologico e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil e atende ao Plano de Ação do Grupo Técnico de Prevenção de Desastres do IG.

Para ver a apresentação clique aqui