sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Realizado em São Paulo o V Seminário “Estratégias para Redução de Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo”


  Mesa de abertura
Bruno Covas e Cel. PM Marco Aurélio assinatura do termo de cooperação
 Bruno Covas e Cel. PM Marco Aurélio com a Cartilha

A Secretaria do Meio Ambiente, por meio do Instituto Geológico (IG) e a Casa Militar, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC) realizaram nos dias 10 e 11 de dezembro de 2013 o V Seminário “Estratégias para Redução de Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo”.

No dia 10 de dezembro de 2013 participaram da cerimônia de abertura Ricardo Vedovello, diretor geral do Instituto Geológico (IG), major PM Walter Nyakas Junior, diretor do departamento de Defesa Civil Estadual, Marco Vitor Fabro Dias, diretor técnico da Minerais do Paraná S/A (Mineropar), Flavio Erthal, diretor presidente do Departamento de Recursos Minerais (DRM) do Estado do Rio de Janeiro e Frederico Ferreira Pedroso, especialista em gestão de risco de desastre do Banco Mundial. No primeiro dia de evento foram discutidos temas relacionados ao papel da geologia na gestão de risco e desastres e suas relações com a defesa civil. Além disso foram apresentados formas de monitoramento e análise de eventos naturais e tecnológicos.

No dia 11 de dezembro de 2013 estiveram presentes o Deputado Bruno Covas, secretário de Estado do Meio Ambiente e o Cel. PM Marco Aurélio Alves Pinto, secretário chefe da Casa Militar e coordenador estadual de Defesa Civil. Na oportunidade os secretários do Meio Ambiente e a Casa Militar assinaram o termo de cooperação para apoio técnico relativo a situações de risco geológico-geotécnico e avaliação de risco. Na ocasião foi lançada a publicação: Coleção Geonatural n. 02 “Você Sabe o que é Relâmpago?” pelo pesquisador do IG Gustavo Armani. As apresentações abordaram a atual situação dos indicadores de desastres no Estado de São Paulo, onde foram exibidos os tipos de bancos de dados existentes e as possíveis interligações entre os mesmos e a questão da presença de biogás em sedimentos da planície do rio Tiete.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

PROGRAMAÇÃO - V SEMINÁRIO ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO DE RISCOS E DESASTRES A EVENTOS GEODINÂMICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO

10 e 11 de dezembro de 2013
Auditório Anfiteatro Augusto Ruschi - Secretaria de Estado do Meio Ambiente
Avenida Professor Frederico Hermann Júnior, 345, Alto de Pinheiros - São Paulo - SP
Realização Secretaria do Meio Ambiente e Casa Militar, por meio do Instituto Geológico e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Governo do Estado de São Paulo

Apoio: Banco Mundial

Objetivo

Avaliar estratégias e ações de redução de risco e desastres em níveis estadual, regional e internacional com base na discussão das políticas de integração e articulação institucional, métodos de análise e monitoramento de risco a eventos geodinâmicos, situação de indicadores de desastres no Estado de São Paulo e a relação entre desastres de origem tecnológica e eventos geodinâmicos. Adicionalmente serão assinados termos de cooperação e lançamento de publicação sobre o tema. Espera-se que as instituições participantes estabeleçam uma agenda de trabalho e de aprofundamento dos temas do evento, em especial, a melhoria e compartilhamento de cadastro de eventos e danos e a uniformização de conceitos e métodos de mapeamento de risco, em busca do fortalecimento dos vínculos institucionais e a melhoria da gestão de risco de desastres no ano de 2014.

Público Alvo

O seminário é aberto à toda comunidade com foco em servidores públicos municipais e estaduais da área de gestão de risco e desastres, comunidade acadêmica e ativistas do tema. O perfil esperado dos participantes é o de gestores e executores de políticas públicas de redução de risco, acadêmicos envolvidos na melhoria da gestão de risco de desastres e transferência de conhecimento e profissionais dos segundo e terceiro setores que se interessem em prover serviços e suporte às políticas públicas de redução de risco de desastre.

Programa


10 de dezembro de 2013, terça-feira, das 08:30h às 17:30h

08h30 - Credenciamento

Painel de Abertura O papel da Geologia na gestão de risco e desastres e suas relações com a Defesa Civil

09h00 - Atuação do Instituto Geológico. Ricardo Vedovello - Diretor Geral do Instituto Geológico.

09h10 - Atuação do Departamento de Recursos Minerais - DRM - Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro. Flavio Erthal - Diretor Presidente - DRM, Rio de Janeiro.

09h20 - Atuação da Minerais do Paraná - MINEROPAR. Marcos Vitor Fabro Dias - Diretor Técnico - MINEROPAR, Paraná.

09h30 - O papel articulador da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil - CEDEC do Estado de São Paulo na gestão de risco de desastres relacionados a eventos naturais. Major PM Walter Nyakas - Diretor do Departamento de Defesa Civil.

09h40 - Atuação do Banco Mundial na gestão de risco de desastres. Frederico Ferreira Pedroso - Especialista em Gestão de Risco de Desastre, Departamento de Desenvolvimento Sustentável, Brasil, Banco Mundial.

Painel Análise de risco a eventos geodinâmicos e proteção civil

09h50 - Iniciativa de Modelamento Probabilístico de Risco (CAPRA). Fernando Ramirez - Especialista Sênior em Gestão de Risco a Desastres do Banco Mundial.

10h30 - Intervalo para café

11h00 - Proteção Civil Contra Desastres Geológicos no Estado do Rio de Janeiro. Cláudio Palmeiro do Amaral - Diretor de Geologia - Departamento de Recursos Minerais - DRM, Rio de Janeiro.

11h30 - Diferenças na análise de risco a instabilidade de taludes em solos tropicais e maciços rochosos: exemplos da Colômbia. Hernán Eduardo Martínez Carvajal - Professor Adjunto - Universidade de Brasília.

12h00 - Debates - Coordenação: Paulo Cesar Fernandes da Silva - Pesquisador Científico - Instituto Geológico

12h30 - Intervalo para almoço

Painel Gerenciamento de risco e desastres: monitoramento e análise de eventos naturais e tecnológicos

14h00 - Monitoramento em tempo real de variáveis climáticas e geotécnicas por meio da instalação de sensores “in situ”. Rodolfo Moreda Mendes - Diretor do Núcleo de Laboratório de Análises Geológicas do Instituto Geológico.

14h30 - Mapeamento de risco associado a eventos geodinâmicos no Estado do Paraná e perspectivas para a gestão. Marcos Vitor Fabro Dias - Diretor Técnico - MINEROPAR.

15h00 - O Plano de Contingência para o Polo Industrial de Cubatão: ações e obras para redução do risco a eventos geodinâmicos. Claudio Luiz Ridente Gomes - Pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas-IPT.

15h30 - Intervalo para café

16h00 - Desastres ambientais com produtos químicos na região da Serra do Mar. Marco Antonio José Lainha – Setor de Operações de Emergência – EIPE- CETESB.

16h30 - Debates -Coordenação: Ricardo Vedovello - Diretor Geral - Instituto Geológico

17h00 - Encerramento

11 de dezembro de 2013, quarta-feira, das 08:30h às 12:30h

08h30 - Credenciamento

Painel A importância da articulação institucional e do conceito de sistema de defesa civil na gestão de risco e desastres

09h00 - O Sistema Integrado de Defesa Civil do Estado de São Paulo - Cel. PM. Marco Aurélio Alves Pinto - Secretário de Estado da Casa Militar e Coordenador Estadual de Defesa Civil.

09h15 - Importância da gestão ambiental na redução de riscos e desastres. Bruno Covas - Secretário de Estado do Meio Ambiente.

Assinaturas de termos de cooperação e de gestão e lançamento de publicação

09h30 - Termo de Cooperação entre a Secretaria do Meio Ambiente, por meio do Instituto Geológico e a Casa Militar, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, para apoio técnico, assessoria e atendimento emergencial relativo a avaliação de riscos geológico-geotécnicos.

Lançamento da publicação: Coleção Geonatural n. 02 “Você sabe o que é relâmpago?”

Gustavo Armani - Pesquisador Científico - Instituto Geológico

09h45 - Construindo Cidades Resilientes. Sidnei Furtado - promotor da Organização das Nações Unidas (ONU) para Cidades Resilientes e Diretor da Defesa Civil de Campinas.

Painel Situação dos indicadores de desastres no Estado de São Paulo; biogás e potencial de desastres

10h30 - Os registros do SIDEC - Sistema Integrado de Defesa Civil - 1º Tenente PM Cíntia Pereira Torres Oliveira - Diretora do Núcleo de Apoio, Divisão de Gerenciamento de Emergências, Casa Militar do Estado de São Paulo.

10h45 - Iniciativa de Modelamento Probabilístico de Risco (CAPRA). Fernando Ramirez - Especialista Sênior em Gestão de Risco a Desastres do Banco Mundial.

11h00 - Intervalo para café

11h30 - Os registros do Banco de Dados de Desastres Naturais do Instituto de Pesquisas Meteorológicas - IPMet. Geórgia Jorge Pellegrina - Assistente de Suporte Acadêmico, Instituto de Pesquisas Meteorológicas - IPMet, UNESP, Bauru.

12h00 - Os registros de atendimentos e de notícias de mídia do Instituto Geológico: aplicação para a correlação entre chuvas e deslizamentos. Jair Santoro - Diretor do Núcleo de Geologia de Engenharia e Ambiental, Instituto Geológico.

12h30 - Acumulações de biogás em sedimentos quaternários da bacia sedimentar de São Paulo: importância para a prevenção de desastres. Guilherme do Carmo Novaes - Graduando em Geofísica, Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, IAG-USP.

13h00 - Debates - Coordenação: Cláudio José Ferreira - Pesquisador Científico - Instituto Geológico

13h30 - Encerramento

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Simulado de Abandono de área risco em Campos do Jordão inicia a 25ª Edição da Operação Verão 2013-2014

 Participantes se dirigindo para o local da simulação
 Cláudio José Ferreira explicando como reconhecer feições de risco
  Rogério, Eduardo, Lídia, "Borbinha" (mascote da defesa civil) e Cláudio

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC) lançou no dia 01 de dezembro de 2013 oficialmente o “Plano Verão 2013-2014″. Em sua 25ª edição, a operação coloca em prática o Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC), específico para escorregamentos de encostas e inundações. O PPDC é coordenado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), e conta com o apoio técnico do Instituto Geológico (IG), além de outros órgãos estaduais. O PPDC tem como objetivo monitorar os 129 municípios integrantes do plano considerados os mais vulneráveis a inundações e escorregamentos.

O início da Operação Verão no Estado neste ano foi marcado pela realização de um exercício simulado de abandono de área de risco, para treinamento da população local em caso de emergência na Vila Santo Antônio, em Campos do Jordão. A ação foi desenvolvida pela CEDEC em parceria com a prefeitura, a Defesa Civil Regional e Municipal, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Secretaria da Agricultura, Cultura, Meio Ambiente, Saúde e dos grupos de Escoteiros da região.

A participação do IG no exercício foi simular uma avaliação geotécnica para avaliar as condições de saturação de água no solo (acúmulo de água) e a situação das encostas (blocos de rochas soltos, solo exposto, árvores e postes tortos, rachaduras recentes em muros e paredes, desníveis aparentes). No local escolhido como abrigo, Escola Municipal Mafalda Machado Cintra, foram realizadas palestras e atividades com os participantes. As crianças receberam cartilhas para colorir da Defesa Civil e do IG receberam a Coleção Geonatural nº 01 - “Você Sabe o que é Deslizamento?”, Caderno de Educação Ambiental - “Desastres Naturais” e para as representações e educadores foram entregues o livro “Desastres Naturais - Conhecer para prevenir”.

O Plano envolve ações de monitoramento dos índices pluviométricos, previsões meteorológicas, realização de vistorias de campo nas áreas de risco e atendimentos emergenciais. Tem um caráter preventivo, com objetivo de evitar a ocorrência de mortes, por meio da remoção preventiva e/ou temporária da população que ocupa as áreas de risco, antes que os escorregamentos atinjam suas moradias. O PPDC é operado em 4 níveis operacionais, para os quais existem ações específicas: OBSERVAÇÃO, ATENÇÃO, ALERTA E ALERTA MÁXIMO.

No Estado de São Paulo, as atividades de identificação, avaliação e gerenciamento de áreas de riscos geológicos tiveram início de forma mais sistemática a partir de uma iniciativa do governo do Estado devido a acidentes em larga escala de graves consequências ocorridos durante o verão de 1987-1988, na região da Serra do Mar, principalmente devido à ocorrência de vítimas fatais nas cidades de Cubatão e Ubatuba.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Inscrições abertas para o V Seminário Estratégias para Redução Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo


O Instituto Geológico organiza em conjunto com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil e com o apoio do Banco Mundial, o V Seminário Estratégias para Redução Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo, para comemorar 127 anos de sua atuação geológica no Estado de São Paulo, 38 anos de existência e 25 anos de atuação sistemática na área de desastres naturais, iniciada com o plano de prevenção para escorregamentos nas encostas da Serra do Mar em 1988.

O V Seminário Estratégias para Redução Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo abordará a importância das políticas de integração e articulação institucional, experiências nacionais e internacionais na análise de risco a eventos geodinâmicos, instrumentos técnicos e políticos da gestão de risco, situação de indicadores de desastres no Estado de São Paulo e a relação entre desastres de origem tecnológica e eventos geodinâmicos. Apesar do Brasil se situar em região geologicamente estável, o aumento do número de eventos relacionados a escorregamentos, erosões e chuvas, e a ocupação territorial de áreas instáveis, exigem que se discutam as causas e estratégias para a redução dos desastres naturais, desenvolvendo conhecimentos científicos e ferramentas tecnológicas com essa finalidade.

Durante o evento será assinado o Termo de Cooperação entre a Secretaria do Meio Ambiente, por meio do Instituto Geológico e a Casa Militar, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, para apoio técnico, assessoria e atendimento emergencial relativo a avaliação de riscos geológico-geotécnicos. Também haverá o lançamento da publicação Coleção Geonatural n. 02 “Você sabe o que é relâmpago?”.

O Seminário Estratégias para Redução Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo, realizado anualmente é um evento aberto à toda comunidade, em especial volata-se a servidores públicos municipais e estaduais da área de gestão de risco e desastres, comunidade acadêmica e ativistas do tema.

PROGRAMAÇÃO

INSCRIÇÃO.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Instituto Geológico participa do V Simpósio de Restauração Ecológica


 Estande de divulgação científica
  Público participante do evento 

O Instituto Geológico (IG) participou com estande de divulgação durante o “V Simpósio de Restauração Ecológica: Políticas públicas para a conservação da biodiversidade" que ocorreu entre os dias 04 e 08 de novembro de 2013, no Instituto de Botânica, localizado na Av. Miguel Stéfano, 3687 - Água Funda - SP.

O Simpósio teve como objetivo oferecer subsídios para a discussão, análise, execução de estudos, projetos e ações relacionadas à restauração ecológica, fundamentados em conceitos desenvolvidos pela comunidade científica e em experiências práticas do setor privado. O evento abordou temas relacionados ao cenário atual das pesquisas científicas, políticas públicas, legislação ambiental, evolução dos processos históricos e legais envolvendo restauração e impactos das alterações do código florestal e das mudanças climáticas na restauração ecológica. O encontro discutiu os desafios atuais e futuros como avaliação e monitoramento de áreas restauradas ou em processo de restauração, perspectivas da ecologia da paisagem na restauração e ainda o diferencial exigido para a restauração de áreas mineradas.

No último dia do evento o pesquisador do IG Cláudio José Ferreira participou da 5° mesa de discussão temática com o tema: "Restauração Ecológica em Condições sob Diferentes Agentes de Degradação e a Importância da Fauna na Restauração Ecológica", apresentando os resultados de sua pesquisa "Quantificação da Degradação e Risco em Áreas Mineradas do Litoral Norte - SP". Onde definiu quatro indicadores da degradação ambiental devido à extração mineral de saibro e secundariamente rocha ornamental (processos erosivos, irregularidade do terreno, solo exposto e cobertura vegetal) e sua quantificação, obtendo-se um índice numérico de degradação.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Conselho Estadual de Monumentos Geológicos declara o Morro do Diabo como o 7º Monumento Geológico Paulista

 Aprovação do Morro do Diabo como o 7º Monumento Geológico Paulista
Entrega de certificados de Monumento Geológico ao município de Teodoro Sampaio
Ricardo Vedovello, Natália Poiani Henriques e o prefeito Ailton Cesar Herling

No dia 13 de novembro de 2013, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SMA), por meio do Instituto Geológico (IG), realizou a décima reunião ordinária do Conselho Estadual de Monumentos Geológicos (CoMGeo-SP), que ocorreu no auditório do Conselho Estadual de Meio Ambiente (CONSEMA). A reunião foi presidida pelo Diretor Geral do Instituto Geológico, Ricardo Vedovello. 

A proposta de candidatura foi apresentada em maio de 2013, na 09ª reunião do CoMGeo-SP, e aprovada nesta última reunião, por meio da apresentação de trabalho completo sobre o Morro do Diabo. Os autores proponentes foram o geólogo Luiz Alberto Fernandes, professor da Universidade Federal do Paraná, os geógrafos Rosangela do Amaral e Rogério Rodrigues Ribeiro, ambos do IG, e o engenheiro florestal Helder de Faria, do Instituto Florestal. 

Na oportunidade, a gestora do Parque Estadual do Morro do Diabo (PEMD), Natália Poiani Henriques, apresentou o histórico, a importância e a situação atual do PEMD, localizado no município de Teodoro Sampaio (SP). Ressaltou que o atrativo geológico (Geodiversidade) complementará a rica biodiversidade já existente. 

Após a votação e aprovação do Morro do Diabo como o 7º Monumento Geológico Paulista, o Dr Ricardo Vedovello entregou certificados de reconhecimento da existência do Monumento Geológico ao município de Teodoro Sampaio (representado pelo prefeito Ailton Cesar Herling), e ao PEMD (representado pela gestora da UC). O Morro do Diabo agora integra o Inventário Paulista de Monumentos Geológicos juntamente com Geiseritos de Anhembi, no município de Anhembi; Carste e Cavernas do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), no Vale do Ribeira; Varvito de Itu, em Itu; Rocha Moutonnée de Salto, em Salto; Cratera de Colônia, em São Paulo e a Pedra do Baú, em São Bento do Sapucaí. 

Na sequência da pauta da 10ª reunião, a Srtas. Caroline Vigo Cogueto e Mariana Romano, da Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais da Secretaria do Meio Ambiente (CBRN/SMA), apresentaram o "Cadastro Ambiental Rural - CAR”. Trata-se de um cadastro eletrônico, obrigatório a todas as propriedades e posses rurais paulistas, e que conterá informações declaratórias e de responsabilidade do proprietário ou possuidor rural. O CAR poderá ser um importante instrumento para a geoconservação dos geossítios e monumentos paulistas, uma vez que auxiliará na identificação do domínio dos imóveis onde ocorra a existência de um determinado patrimônio natural geológico.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Pesquisador do Instituto Geológico realiza palestra em Portugal

 Equipamentos de monitoramento em Campos do Jordão
Placa de identificação dos equipamentos de monitoramento

O pesquisador do Instituto Geológico (IG) Rodolfo Moreda Mendes, Diretor Técnico de Serviço do Laboratório de Análises Geológicas, ministrou a palestra intitulada “Monitoramento de variáveis climáticas e geotécnicas para implantação de Sistemas de Alerta para escorregamentos no Estado de São Paulo”, no Departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Engenharia do Porto no dia 23 de outubro de 2013.

Durante a apresentação o pesquisador explicou que as variáveis climáticas e geotécnicas estão sendo monitoradas simultaneamente e em tempo real por meio da instalação de sensores de precipitação (chuva), teor de umidade e sucção do solo em três campos experimentais situados nos municípios de Campos do Jordão, São José dos Campos e Ubatuba. Além disso, demostrou que está estudando a influência dos fatores antrópicos nos escorregamentos induzidos em áreas urbanas a partir de análises de estabilidade de taludes que contemplem simulações com diferentes cenários observados em áreas de risco já mapeadas nos municípios onde estão implantados os campos experimentais. Por fim concluiu que os resultados do trabalho de pesquisa poderão fornecer subsídios para o aperfeiçoamento dos parâmetros técnicos atualmente utilizados nos Planos Preventivos de Defesa Civil (PPDC), no Estado de São Paulo, a partir da adoção de níveis críticos de alerta estabelecidos tanto por meio do monitoramento simultâneo de variáveis do meio físico natural quanto pela consideração de fatores antrópicos indutores de escorregamentos.

A viagem de um mês até Portugal, foi para a realização do estágio de pós-doutoramento do pesquisador no Laboratório de Geotecnia (LabGeo) do Departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Engenharia do Porto, no âmbito do Projeto FAPESP (Processo nº 2011/22577-2) que está sendo desenvolvido no IG/SMA em parceria com outras Instituições de Pesquisa e Ensino.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Campos do Jordão recebe treinamento da equipe do Instituto Geológico para avaliação de áreas de risco

 
Participantes durante o trabalho de campo
Participantes durante o encerramento do trabalho de campo  

Equipe do IG ministrou, no período de 29/10 a 01/11/ 2013, treinamento no município de Campos do Jordão com o objetivo de capacitar a equipe municipal na percepção, reconhecimento e avaliação de áreas de risco.

A dinâmica do treinamento envolveu aulas teóricas, oficinas e exercícios práticos em campo em áreas de riscos, apoiando-se em estudos técnicos existentes, bem como em Mapeamento de áreas de risco em elaboração pelo IG para o município.

Com este treinamento a equipe municipal terá melhores condições de realizar a atualização constante da cartografia de risco e monitoramento de sua áreas problemáticas, possibilitando uma melhor operação de planos preventivos de defesa civil e planejamento da ocupação do seu território.

Ministraram o treinamento a geóloga Lídia Keiko Tominaga, o geógrafo Rogério Rodrigues Ribeiro e o tecnólogo Eduardo de Andrade.

Participaram do treinamento 30 alunos, de diversos órgãos da administração municipal (Defesa Civil Municipal, Meio Ambiente, Habitação, Educação, Planejamento, Saúde), além de Corpo de Bombeiros, ONG ALTUS, Associação de Bairro e técnicos da Prefeitura de Poá.

Esta ação está apoiada por Termo de Cooperação entre IG e CEDEC (Coordenadoria Estadual de Defesa Civil) e pelo Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução e Riscos Geológicos.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Pesquisadora do Instituto Geológico participou do Seminário Construindo Cidade Resilientes


Lídia Keiko Tominaga durante sua apresentação
 Cláudio José Ferreira, Ricardo Vedovello e Lídia Keiko Tominaga
 
A pesquisadora Lídia Keiko Tominaga do Instituto Geológico proferiu palestra no seminário Construindo Cidades Resilientes que aconteceu no dia 10/10/2013, no Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal - CEPAM na cidade universitária. O tema abordado pela pesquisadora foi “Reconhecendo o Risco” levantando a importância para os agentes da defesa civil de cada município a necessidade do conhecimento do risco da região em que atuam e assim estarem preparados para os eventos que podem ocorrer em seu município.

A abertura do seminário foi feita pelo presidente do Cepam, Lobbe Neto; o diretor acadêmico da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), Waldomiro Loyola; a coordenadora de planejamento ambiental, Zuleica Perez, que representou o secretário estadual de Meio Ambiente, Brunos Covas; a deputada estadual, Célia Leão; e o secretário-chefe da Casa Militar, coronel PM Marco Aurélio Alves Pinto.

O seminário é uma das atividades do estado de São Paulo, da Defesa Civil Estadual (CEDEC-SP) de planejamento para a redução de riscos e eventos relacionados aos desastres naturais, contou com a presença de 600 participantes entre defesas civis das diversas prefeituras no estado de São Paulo e entidades ligadas ao CEDEC como o IPT, DAEE e o Instituto Geológico.

O coronel PM Marco Aurélio apresentou a preocupação da Defesa Civil que deve ter o compromisso de prevenir as situações de risco não apenas recuperar o evento acontecido. Para isto destaca o curso de educação à distância em parceria com a Univesp/USP e um curso em forma de “game” para os alunos do ensino fundamental e médio do estado em parceria com diversos órgãos entre ele o Instituto Geológico.

As apresentações estão disponíveis AQUI
 

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Instituto Geológico na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

O Instituto Geológico participa da atividade “Portas Abertas” durante a SNCT

O Instituto Geológico participa da atividade “Portas Abertas” durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. As visitas ao Instituto Geológico ocorrerão no dia 24 de outubro de 2013, das 09h00 às 16h00 na sede do IG que fica localizado na Av. Miguel Stéfano, 3.900. 

Durante a visita serão distribuídos livros, cartilhas, revistas, folderes e outros materiais de divulgação do Instituto Geológico em um espaço de exposições sobre geociências que contará com: um caminho do tempo geológico; um mapa do estado de São Paulo com amostras de rochas; uma maquete que ilustra os processos geológicos associados aos riscos geológicos (escorregamentos, enchentes); uma maquete da casa mineralógica que ilustra a origem mineral de muitos dos itens do cotidiano e uma exposição com itens da antiga Comissão Geográfica e Geológica, um dos primeiros órgãos de pesquisa do estado. Além disso, estarão expostos cerca de 30 painéis com resultados científicos dos projetos de pesquisa desenvolvidos na Instituição. 

Às 10h00 e 16h00 será realizada uma visita monitorada aos laboratórios e à biblioteca e mapoteca, que ilustram parte do cotidiano das pesquisas científicas e de inovação tecnológica. 

Contatos para um agendamento prévio da visita poderão ser realizados com a Sra. Lucimara Mendes, Diretora do Centro de Comunicações Técnicas e Científicas em Geociências, pelo telefone (11) 5073-5511 ramal 2033, ou pelo e-mail lucimaral@igeologico.sp.gov.br.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Pesquisadora do IG participa do "40th International Association of Hidrogeologists Congress - IAH 2013"

Claudia Varnier durante a exposição do seu trabalho
 
No período de 15 a 20 de setembro de 2013, a pesquisadora Claudia Varnier participou do "40th International Association of Hidrogeologists Congress - IAH 2013", realizado na cidade de Perth (Austrália). Este evento, organizado pela IAH (International Association of Hidrogeologist), é um dos mais prestigiados na área de hidrogeologia do mundo, pois reúne especialistas dos mais importantes centros em geoquímica isotópica, contaminação de águas subterrâneas, modelagem e gestão de aquíferos.

A pesquisadora apresentou o trabalho intitulado “Land urban occupation and groundwater contamination by nitrate: a complex relationship in the mid-western region of the Sao Paulo State (Brazil)”. Na ocasião, foi divulgada uma parte dos resultados inéditos correspondentes ao projeto de pesquisa “Padrões de ocupação urbana e contaminação por nitrato nas águas subterrâneas do Sistema Aquífero Bauru, centro-oeste do estado de São Paulo”, desenvolvido pelo Instituto Geológico (IG/SMA) em cooperação com o Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (IGc-USP) e a Universidade de Waterloo (Canadá). O trabalho ressaltou contribuições científicas pioneiras na área de hidroquímica do nitrogênio em aquíferos contaminados por sistemas de saneamento frente aos padrões de ocupação urbana. Além de grande alcance social, salienta-se que o problema de contaminação das águas subterrâneas por nitrato tem afetado inúmeros municípios paulistas e brasileiros.

A participação da pesquisadora neste congresso foi fundamental para conhecer os trabalhos similares desenvolvidos em outros países, permitindo uma troca de conhecimentos e interação com outras instituições de pesquisas.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

O Instituto Geológico no XI Diálogo Interbacias


 Estande de divulgação do Instituto Geológico
  Público visitando o estande do IG

O Instituto Geológico (IG) participou com estande de divulgação científica no XI Diálogo Interbacias de Educação Ambiental em Recursos Hídricos, que aconteceu entre os dias 2 a 5 de setembro de 2013 na cidade de São Pedro-SP. O ano 2013 foi escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para dedicar o dia Mundial da Água com o tema “Ano Internacional de Cooperação pela Água”.

O Diálogo Interbacias é um Projeto de Educação Ambiental, contínuo e permanente de integração de ações educativas dos 21 Comitês das Bacias Hidrográficas que proporciona entre outros fatores a construção de valores e a aquisição de conhecimentos, atitudes e habilidades voltadas para a participação responsável na Gestão das Águas. O desenvolvimento da cooperação pela água envolve uma abordagem que reúne fatores e disciplinas culturais, educacionais e científicas com objetivo de discutir e avaliar os resultados da educação ambiental e a gestão dos recursos hídricos no Estado de São Paulo.

O IG possui uma política de fomentar a divulgação do conhecimento das geociências, por meio da publicação de resultados de pesquisas científicas e atividades técnicas, despertando interesse dos membros dos Comitês de Bacias Hidrográficas, prefeitos municipais, vereadores, educadores, técnicos de órgãos públicos e privados, ambientalistas e da sociedade civil em geral.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Pesquisador Científico do Instituto Geológico Dr. Fernando Cilento Fittipaldi falece em Rio Claro


Dr. Fernando Cilento Fittipaldi Foto: William Sallun

Bacharel em História Natural pelo Instituto de Geociências e Ciências Exatas da Unesp de Rio Claro, Fernando Fittipaldi foi presidente do Conselho Superior do Arquivo Público e Histórico de Rio Claro, no período de junho de 1986 a agosto de 1992, nas gestões dos superintendentes Ana Maria de Almeida Camargo e José Carlos Cardoso.

Mestre e Doutor em Ciências na área de Paleontologia pelo Instituto de Geociências da USP, ingressou no Instituto Geológico da Secretaria de Estado do Meio Ambiente em junho de 1994. Trabalhou na definição da faciologia dos depósitos cenozoicos da Formação Rio Claro (Neógeno - Depressão Periférica do Estado de São Paulo). Fez o primeiro registro de ocorrência de tetrápodes (Fósseis) na Formação Santo Anastácio. Participou da elaboração da Bibliografia Analítica da Paleontologia do Estado de São Paulo, do período 1997-2000. Foi Diretor do Serviço de Comunicações Técnico Científicas de dezembro de 2001 a julho de 2007. A partir de 2007 atuou no Núcleo de Monumentos Geológicos do IG em ações de registro, conservação e divulgação do Patrimônio Geológico do Estado de São Paulo.

Seu último trabalho foi a participação ativa no Projeto Monumentos Geológicos da Região de Rio Claro (SP), especialmente nos estudos dos geossítios com conteúdo fossilífero.

O seu jeito reservado camuflava um cidadão com competência técnica e cultural. Profundo conhecedor da História e da Gastronomia, era apreciador de um bom azeite de oliva, denominando-o “a mãe de todos os pratos!”.

Além de muito atencioso e solícito, era dono de rápidas interlocuções eivadas de humor inteligente.

 Deixa saudades à todos os seus colegas do Instituto Geológico.