sexta-feira, 26 de abril de 2013

Instituto Geológico ministra treinamento para avaliação de áreas de risco em São Sebastião


Treinamento teórico Foto: Maria José Brollo
 Treinamento prático Foto: Maria José Brollo

Equipe do IG ministrou no período de 23 a 25 de abril de 2013 treinamento no município de São Sebastião com o objetivo de capacitar a equipe municipal na percepção, reconhecimento e avaliação de áreas de risco.

A dinâmica do treinamento envolveu aulas teóricas, oficinas e exercícios práticos em campo em áreas de riscos que sofreram acidentes no verão de 2013, apoiando-se em estudos técnicos já elaborados pelo IG para o município (Carta de risco a movimentos de massa - 1996; Mapeamento de áreas de risco de escorregamentos e inundações - 2006; relatórios de vistoria técnica, etc).

Com este treinamento a equipe municipal terá melhores condições de realizar a atualização constante da cartografia de risco e monitoramento de sua áreas problemáticas, possibilitando uma melhor operação de planos preventivos de defesa civil e planejamento da ocupação do seu território.

Esta ação está apoiada pelo Termo de Cooperação entre IG e CEDEC e pelo Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução e Riscos Geológicos. Ministraram o treinamento o geógrafo Rogério Rodrigues Ribeiro, o tecnólogo Eduardo de Andrade e as geólogas Lídia Keiko Tominaga e Maria José Brollo.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Pesquisador do Instituto Geológico participa de oficina sobre cavernas promovida pelo Ministério do Meio Ambiente em Minas Gerais



 
Coletas de dados em Campo. Foto: José Antonio Ferrari

No dia 15 de abril de 2013 o pesquisador do Instituto Geológico José Antonio Ferrari ministrou a palestra intitulada: “Identificando a Área de Influência da Caverna a partir do Conhecimento do Hidrossistema Cárstico”. 

O pesquisador apresentou resultados de pesquisas desenvolvidas pelo IG-SMA que contribuem para orientar estudos ambientais para a implantação de empreendimentos em regiões com ocorrência de cavernas.

A palestra foi proferida no Auditório da Superintendência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) em Belo Horizonte – MG e fez parte da programação da Oficina “Área de Influência de Cavidades Naturais Subterrâneas”, promovida pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas do Instituto Chico Mendes (CECAV/ICMBio), ambos do Ministério do Meio Ambiente.

Participaram do evento consultores (51%), pesquisadores (11%), analistas ambientais de orgãos governamentais (31%) e representantes do setor mineral (7%).

O objetivo da oficina foi de estabelecer diretrizes e orientações básicas para a definição de limites da área de influência de cavidades naturais subterrâneas, no âmbito dos processos de Licenciamento Ambiental.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Alunos da Fundação Santo André visitam o Instituto Geológico

 Alunos durante a visita na Biblioteca e Mapoteca
Alunos após as palestras no auditório

No dia 10 de abril de 2013 o Instituto Geológico recebeu a visita de 30 alunos do 1º ano do curso de graduação em Geografia do Centro Universitário Fundação Santo André (CUFSA). Os alunos vieram acompanhados pela Professora Maria da Glória da Silva Castro, e iniciaram a visita na Biblioteca Zenóbia de Moraes Bastos, cujo acervo especializado em Geociências conta com 146.000 títulos de livros e a mapoteca com mais de 15.000 mapas. Os alunos puderam observar mapas antigos e obras raras da Comissão Geográfica e Geológica – CGG, orientados pela Bibliotecária Arlete Alves Ferreira e o Técnico Roberto Ventura. Visitaram também o Laboratório de Análises Geológicas e conheceram os procedimentos de preparação de amostras de sedimentos e ensaios com a orientação dos Técnicos Ivete da Silva e Geovani Ferreira. Em seguida estiveram no Laboratório de Microscopia com o Pesquisador José Maria Azevedo Sobrinho. Lá puderam observar laminas de rochas através de microscópio eletrônico.
 
 Encerrando a visita, assistiram ao vídeo institucional no Auditório Theodoro Knecht e ouviram palavras da pesquisadora Mirian Ramos Gutjahr, sobre a futura carreira que a graduação em Geografia proporcionará, podendo ser na área da educação e/ou pesquisa. O Banco de Dados de Eventos Climáticos na Baixada Santista foi mostrado como forma de atuação na área da pesquisa. Após a visita os alunos receberam publicações e material de divulgação do Instituto Geológico.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

15 de abril: Dia Nacional da Conservação do Solo

Colúvios na Serra da Bocaina - Foto: Silvio Takashi Hiruma

O Dia Nacional da Conservação do Solo é comemorado no dia 15 de abril. A data foi escolhida em homenagem ao nascimento do americano Hugh Hammond Bennett (15/04/1881 - 07/07/1960), considerado o pai da conservação dos solos nos Estados Unidos e o primeiro responsável pelo Serviço de Conservação de Solos daquele país.

Este dia foi instituído pela Lei 7.876, em 13 de novembro de 1989, por iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e surgiu com o objetivo de aprofundar os debates sobre a importância do solo como um dos fatores básicos da produção agropecuária e a necessidade de seu uso e manejo sustentáveis.

Dentre os problemas ambientais, a erosão do solo está entre os mais preocupantes, pois pode levar a perdas de solo e de sua capacidade produtiva; fazer o aporte de sedimentos nos rios, reservatórios, lagos, lagoas e oceanos, causando assoreamento e contaminação dos mananciais; e a degradação dos ecossistemas como um todo, estando associada a questões ambientais, sociais e econômicas.

Além disso, o solo é a base para a produção de alimentos, atua como filtro e reservatório de água e é imprescindível para a existência humana e para o desenvolvimento sustentável.

Preocupado com as questões relacionadas à Conservação do Solo e da Água, O Instituto Geológico (IG) vem há alguns anos realizando pesquisas nesse sentido, e tem constatado a relevância deste assunto no Estado de São Paulo, especialmente na região oeste do Estado, onde os pesquisadores tem observado a ação negativa da erosão, seja na perda da capacidade produtiva dos solos ou nos danos aos recursos hídricos.