sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Realizado em São Paulo o V Seminário “Estratégias para Redução de Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo”


  Mesa de abertura
Bruno Covas e Cel. PM Marco Aurélio assinatura do termo de cooperação
 Bruno Covas e Cel. PM Marco Aurélio com a Cartilha

A Secretaria do Meio Ambiente, por meio do Instituto Geológico (IG) e a Casa Militar, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC) realizaram nos dias 10 e 11 de dezembro de 2013 o V Seminário “Estratégias para Redução de Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo”.

No dia 10 de dezembro de 2013 participaram da cerimônia de abertura Ricardo Vedovello, diretor geral do Instituto Geológico (IG), major PM Walter Nyakas Junior, diretor do departamento de Defesa Civil Estadual, Marco Vitor Fabro Dias, diretor técnico da Minerais do Paraná S/A (Mineropar), Flavio Erthal, diretor presidente do Departamento de Recursos Minerais (DRM) do Estado do Rio de Janeiro e Frederico Ferreira Pedroso, especialista em gestão de risco de desastre do Banco Mundial. No primeiro dia de evento foram discutidos temas relacionados ao papel da geologia na gestão de risco e desastres e suas relações com a defesa civil. Além disso foram apresentados formas de monitoramento e análise de eventos naturais e tecnológicos.

No dia 11 de dezembro de 2013 estiveram presentes o Deputado Bruno Covas, secretário de Estado do Meio Ambiente e o Cel. PM Marco Aurélio Alves Pinto, secretário chefe da Casa Militar e coordenador estadual de Defesa Civil. Na oportunidade os secretários do Meio Ambiente e a Casa Militar assinaram o termo de cooperação para apoio técnico relativo a situações de risco geológico-geotécnico e avaliação de risco. Na ocasião foi lançada a publicação: Coleção Geonatural n. 02 “Você Sabe o que é Relâmpago?” pelo pesquisador do IG Gustavo Armani. As apresentações abordaram a atual situação dos indicadores de desastres no Estado de São Paulo, onde foram exibidos os tipos de bancos de dados existentes e as possíveis interligações entre os mesmos e a questão da presença de biogás em sedimentos da planície do rio Tiete.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

PROGRAMAÇÃO - V SEMINÁRIO ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO DE RISCOS E DESASTRES A EVENTOS GEODINÂMICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO

10 e 11 de dezembro de 2013
Auditório Anfiteatro Augusto Ruschi - Secretaria de Estado do Meio Ambiente
Avenida Professor Frederico Hermann Júnior, 345, Alto de Pinheiros - São Paulo - SP
Realização Secretaria do Meio Ambiente e Casa Militar, por meio do Instituto Geológico e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Governo do Estado de São Paulo

Apoio: Banco Mundial

Objetivo

Avaliar estratégias e ações de redução de risco e desastres em níveis estadual, regional e internacional com base na discussão das políticas de integração e articulação institucional, métodos de análise e monitoramento de risco a eventos geodinâmicos, situação de indicadores de desastres no Estado de São Paulo e a relação entre desastres de origem tecnológica e eventos geodinâmicos. Adicionalmente serão assinados termos de cooperação e lançamento de publicação sobre o tema. Espera-se que as instituições participantes estabeleçam uma agenda de trabalho e de aprofundamento dos temas do evento, em especial, a melhoria e compartilhamento de cadastro de eventos e danos e a uniformização de conceitos e métodos de mapeamento de risco, em busca do fortalecimento dos vínculos institucionais e a melhoria da gestão de risco de desastres no ano de 2014.

Público Alvo

O seminário é aberto à toda comunidade com foco em servidores públicos municipais e estaduais da área de gestão de risco e desastres, comunidade acadêmica e ativistas do tema. O perfil esperado dos participantes é o de gestores e executores de políticas públicas de redução de risco, acadêmicos envolvidos na melhoria da gestão de risco de desastres e transferência de conhecimento e profissionais dos segundo e terceiro setores que se interessem em prover serviços e suporte às políticas públicas de redução de risco de desastre.

Programa


10 de dezembro de 2013, terça-feira, das 08:30h às 17:30h

08h30 - Credenciamento

Painel de Abertura O papel da Geologia na gestão de risco e desastres e suas relações com a Defesa Civil

09h00 - Atuação do Instituto Geológico. Ricardo Vedovello - Diretor Geral do Instituto Geológico.

09h10 - Atuação do Departamento de Recursos Minerais - DRM - Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro. Flavio Erthal - Diretor Presidente - DRM, Rio de Janeiro.

09h20 - Atuação da Minerais do Paraná - MINEROPAR. Marcos Vitor Fabro Dias - Diretor Técnico - MINEROPAR, Paraná.

09h30 - O papel articulador da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil - CEDEC do Estado de São Paulo na gestão de risco de desastres relacionados a eventos naturais. Major PM Walter Nyakas - Diretor do Departamento de Defesa Civil.

09h40 - Atuação do Banco Mundial na gestão de risco de desastres. Frederico Ferreira Pedroso - Especialista em Gestão de Risco de Desastre, Departamento de Desenvolvimento Sustentável, Brasil, Banco Mundial.

Painel Análise de risco a eventos geodinâmicos e proteção civil

09h50 - Iniciativa de Modelamento Probabilístico de Risco (CAPRA). Fernando Ramirez - Especialista Sênior em Gestão de Risco a Desastres do Banco Mundial.

10h30 - Intervalo para café

11h00 - Proteção Civil Contra Desastres Geológicos no Estado do Rio de Janeiro. Cláudio Palmeiro do Amaral - Diretor de Geologia - Departamento de Recursos Minerais - DRM, Rio de Janeiro.

11h30 - Diferenças na análise de risco a instabilidade de taludes em solos tropicais e maciços rochosos: exemplos da Colômbia. Hernán Eduardo Martínez Carvajal - Professor Adjunto - Universidade de Brasília.

12h00 - Debates - Coordenação: Paulo Cesar Fernandes da Silva - Pesquisador Científico - Instituto Geológico

12h30 - Intervalo para almoço

Painel Gerenciamento de risco e desastres: monitoramento e análise de eventos naturais e tecnológicos

14h00 - Monitoramento em tempo real de variáveis climáticas e geotécnicas por meio da instalação de sensores “in situ”. Rodolfo Moreda Mendes - Diretor do Núcleo de Laboratório de Análises Geológicas do Instituto Geológico.

14h30 - Mapeamento de risco associado a eventos geodinâmicos no Estado do Paraná e perspectivas para a gestão. Marcos Vitor Fabro Dias - Diretor Técnico - MINEROPAR.

15h00 - O Plano de Contingência para o Polo Industrial de Cubatão: ações e obras para redução do risco a eventos geodinâmicos. Claudio Luiz Ridente Gomes - Pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas-IPT.

15h30 - Intervalo para café

16h00 - Desastres ambientais com produtos químicos na região da Serra do Mar. Marco Antonio José Lainha – Setor de Operações de Emergência – EIPE- CETESB.

16h30 - Debates -Coordenação: Ricardo Vedovello - Diretor Geral - Instituto Geológico

17h00 - Encerramento

11 de dezembro de 2013, quarta-feira, das 08:30h às 12:30h

08h30 - Credenciamento

Painel A importância da articulação institucional e do conceito de sistema de defesa civil na gestão de risco e desastres

09h00 - O Sistema Integrado de Defesa Civil do Estado de São Paulo - Cel. PM. Marco Aurélio Alves Pinto - Secretário de Estado da Casa Militar e Coordenador Estadual de Defesa Civil.

09h15 - Importância da gestão ambiental na redução de riscos e desastres. Bruno Covas - Secretário de Estado do Meio Ambiente.

Assinaturas de termos de cooperação e de gestão e lançamento de publicação

09h30 - Termo de Cooperação entre a Secretaria do Meio Ambiente, por meio do Instituto Geológico e a Casa Militar, por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, para apoio técnico, assessoria e atendimento emergencial relativo a avaliação de riscos geológico-geotécnicos.

Lançamento da publicação: Coleção Geonatural n. 02 “Você sabe o que é relâmpago?”

Gustavo Armani - Pesquisador Científico - Instituto Geológico

09h45 - Construindo Cidades Resilientes. Sidnei Furtado - promotor da Organização das Nações Unidas (ONU) para Cidades Resilientes e Diretor da Defesa Civil de Campinas.

Painel Situação dos indicadores de desastres no Estado de São Paulo; biogás e potencial de desastres

10h30 - Os registros do SIDEC - Sistema Integrado de Defesa Civil - 1º Tenente PM Cíntia Pereira Torres Oliveira - Diretora do Núcleo de Apoio, Divisão de Gerenciamento de Emergências, Casa Militar do Estado de São Paulo.

10h45 - Iniciativa de Modelamento Probabilístico de Risco (CAPRA). Fernando Ramirez - Especialista Sênior em Gestão de Risco a Desastres do Banco Mundial.

11h00 - Intervalo para café

11h30 - Os registros do Banco de Dados de Desastres Naturais do Instituto de Pesquisas Meteorológicas - IPMet. Geórgia Jorge Pellegrina - Assistente de Suporte Acadêmico, Instituto de Pesquisas Meteorológicas - IPMet, UNESP, Bauru.

12h00 - Os registros de atendimentos e de notícias de mídia do Instituto Geológico: aplicação para a correlação entre chuvas e deslizamentos. Jair Santoro - Diretor do Núcleo de Geologia de Engenharia e Ambiental, Instituto Geológico.

12h30 - Acumulações de biogás em sedimentos quaternários da bacia sedimentar de São Paulo: importância para a prevenção de desastres. Guilherme do Carmo Novaes - Graduando em Geofísica, Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, IAG-USP.

13h00 - Debates - Coordenação: Cláudio José Ferreira - Pesquisador Científico - Instituto Geológico

13h30 - Encerramento

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Simulado de Abandono de área risco em Campos do Jordão inicia a 25ª Edição da Operação Verão 2013-2014

 Participantes se dirigindo para o local da simulação
 Cláudio José Ferreira explicando como reconhecer feições de risco
  Rogério, Eduardo, Lídia, "Borbinha" (mascote da defesa civil) e Cláudio

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC) lançou no dia 01 de dezembro de 2013 oficialmente o “Plano Verão 2013-2014″. Em sua 25ª edição, a operação coloca em prática o Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC), específico para escorregamentos de encostas e inundações. O PPDC é coordenado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), e conta com o apoio técnico do Instituto Geológico (IG), além de outros órgãos estaduais. O PPDC tem como objetivo monitorar os 129 municípios integrantes do plano considerados os mais vulneráveis a inundações e escorregamentos.

O início da Operação Verão no Estado neste ano foi marcado pela realização de um exercício simulado de abandono de área de risco, para treinamento da população local em caso de emergência na Vila Santo Antônio, em Campos do Jordão. A ação foi desenvolvida pela CEDEC em parceria com a prefeitura, a Defesa Civil Regional e Municipal, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Secretaria da Agricultura, Cultura, Meio Ambiente, Saúde e dos grupos de Escoteiros da região.

A participação do IG no exercício foi simular uma avaliação geotécnica para avaliar as condições de saturação de água no solo (acúmulo de água) e a situação das encostas (blocos de rochas soltos, solo exposto, árvores e postes tortos, rachaduras recentes em muros e paredes, desníveis aparentes). No local escolhido como abrigo, Escola Municipal Mafalda Machado Cintra, foram realizadas palestras e atividades com os participantes. As crianças receberam cartilhas para colorir da Defesa Civil e do IG receberam a Coleção Geonatural nº 01 - “Você Sabe o que é Deslizamento?”, Caderno de Educação Ambiental - “Desastres Naturais” e para as representações e educadores foram entregues o livro “Desastres Naturais - Conhecer para prevenir”.

O Plano envolve ações de monitoramento dos índices pluviométricos, previsões meteorológicas, realização de vistorias de campo nas áreas de risco e atendimentos emergenciais. Tem um caráter preventivo, com objetivo de evitar a ocorrência de mortes, por meio da remoção preventiva e/ou temporária da população que ocupa as áreas de risco, antes que os escorregamentos atinjam suas moradias. O PPDC é operado em 4 níveis operacionais, para os quais existem ações específicas: OBSERVAÇÃO, ATENÇÃO, ALERTA E ALERTA MÁXIMO.

No Estado de São Paulo, as atividades de identificação, avaliação e gerenciamento de áreas de riscos geológicos tiveram início de forma mais sistemática a partir de uma iniciativa do governo do Estado devido a acidentes em larga escala de graves consequências ocorridos durante o verão de 1987-1988, na região da Serra do Mar, principalmente devido à ocorrência de vítimas fatais nas cidades de Cubatão e Ubatuba.