quinta-feira, 29 de maio de 2014

Pesquisador do Instituto Geológico relata desastre de Itaóca em evento na Assembleia Legislativa de São Paulo

 Jair Santoro durante sua palestra Foto: ABGE
 Jair Santoro durante sua palestra Foto: ABGE

O Geólogo Dr. Jair Santoro proferiu palestra sobre o atendimento emergencial realizado no município de Itaóca (SP) em janeiro de 2014 durante evento promovido pela Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental (ABGE).
Com o tema: “Desastres em 2014 no Sudeste” o encontro foi realizado na Assembleia Legislativa de São Paulo no dia 27 de maio de 2014 e contou com a participação de órgãos públicos e especialistas que puderam relatar experiência ante aos desastres ocorridos na região. 

Durante sua apresentação o pesquisador Jair relatou que o atendimento foi realizado após acionamento da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), com a qual o Instituto Geológico (IG) mantém um Termo de Cooperação de apoio técnico a planos preventivos de defesa civil. A equipe do IG foi a primeira a chegar à região e esteve presente no período de 14 a 19 de janeiro de 2014, com duas equipes se revezando nos trabalhos de vistoria. 

As chuvas intensas da noite do dia 12 de janeiro de 2014, estendenram-se até o amanhecer de 13 de janeiro de 2014. Estima-se que o processo foi deflagrado pela ocorrência de até 150 mm de chuva em um período de 6 horas, o que gerou a elevação súbita (entre 4 a 5 metros) do nível do rio Palmital, que atravessa a área urbana. O transbordamento das águas atingiu diversas moradias situadas ao longo das margens direita e esquerda do rio Palmital, bem como uma extensa faixa de moradias situadas ao longo das vias de acesso locais. Também foram observadas inúmeras cicatrizes de escorregamentos nas encostas próximas ao vale do rio Palmital. A chuva intensa ocorrida em curto espaço de tempo, associada aos escorregamentos que ocorreram nas encostas, gerando grande aporte de materiais, compostos por sedimentos, fragmentos rochosos e seixos de tamanhos variados e de troncos de árvores, evidencia a ocorrência de um processo de corrida de detritos, com forte potencial de arrasto e destruição. O material transportado neste processo gerou assoreamentos e barramentos do fluxo de água ao longo da drenagem e, consequentemente, os transbordamentos que atingiram ao menos 100 moradias na cidade.

Para ver a apresentação CLIQUE AQUI 

Fonte: Instituto Geológico

terça-feira, 27 de maio de 2014

Curso de Percepção de Perigos e Riscos Geológicos é ministrado pelo IG para profissionais da Educação no Município de Campos do Jordão (SP)

 Estudo teórico
 Estudo prático
Confraternização final


No período de 21 a 23 de maio de 2014 o Instituto Geológico ministrou o Curso de “Percepção de Perigos e Riscos Geológicos” para diretores e coordenadores pedagógicos da rede de ensino de Campos do Jordão (SP).

Este curso foi oferecido como etapa de conclusão do Mapeamento das Áreas de Risco realizado no município e permitiu aos profissionais municipais a construção da percepção de risco por meio do contato com os conceitos ligados a Perigos e Riscos Geológicos (1º dia), atividade de campo (2º dia) e o estudo da aplicação direta desse conhecimento nas atividades curriculares (3º dia). Participaram desta atividade profissionais de algumas escolas da rede municipal, desde a educação infantil até o ensino fundamental II. Como resultado imediato pode ser utilizada a manifestação de uma das diretoras de escola localizada próxima a uma área de risco, no momento da avalição do curso: “Na segunda feira, quando eu entrar na escola, eu terei um novo olhar sobre os meus alunos que moram em áreas de risco”.

A capacitação das comunidades e das equipes municipais em percepção de risco é uma das ações postuladas pelo Decreto Estadual nº 57.512/11 (Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geológicos – PDN) e pela Lei Federal nº 12.608/12 (Política Nacional de Proteção e Defesa Civil – PNPDC) que objetivam o desenvolvimento sustentável e maior resiliência dos municípios frente aos desastres naturais.

A equipe do Instituto Geológico responsável pelo curso foi composta pelo Geógrafo Rogério Rodrigues Ribeiro (coordenador do curso), do Especialista Ambiental Eduardo de Andrade, da Geógrafa Francisneide Soares Ribeiro, da Geóloga Maria José Brollo, e do Tec. de Apoio Valentim dos Santos. Esta realização contou também com o apoio da Defesa Civil Municipal,da Secretaria Municipal de Educação de Campos do Jordão e da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC).

terça-feira, 20 de maio de 2014

Participação do Instituto Geológico no Seminário: Saneamento e Gestão de Risco de Desastres


Técnicos do Instituto Geológico participaram nesta segunda-feira (05/05) da Mesa-redonda “Desenvolvimento sustentável de sistemas de micro e macro drenagem em áreas urbanas e a questão de análise e monitoramento de risco a inundações” que contou também com a presença de técnicos do DAEE e da Região francesa de Île-de-France. Com moderação do Diretor Substituto do Instituto, Pesquisador Científico Cláudio José Ferreira, foram expostos casos e trocadas experiências sobre a gestão dos recursos hídricos, monitoramento e gestão de riscos no Estado de São Paulo e no entorno parisiense.

O evento internacional “Desenvolvimento Sustentável: qualidade e caminhos da água” ocorre de 5 a 9 de maio de 2014, das 8h30 às 17h30, no Anfiteatro Augusto Ruschi, à Avenida Professor Frederico Hermann Junior, 345 – Alto de Pinheiros – São Paulo – SP, sendo uma realização conjunta da Secretaria de Estado do Meio Ambiente – SMA, da Secretaria de Estado de Saneamento e Recursos Hídricos, da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB e da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais.

Instituto Geológico entrega mapeamento de áreas de risco de Campos do Jordão no aniversário da cidade


O relatório executivo do projeto “Mapeamento de riscos associados a escorregamentos, inundações, erosão e solapamento de margens de drenagens do Município de Campos do Jordão”, elaborado pelo Instituto Geológico foi entregue à Prefeitura de Campos do Jordão, durante as festividades do 140º aniversário da cidade, em 29/04/2014.

O trabalho foi desenvolvido entre setembro de 2013 e abril de 2014, tendo como resultado a identificação de 40 áreas de risco, seu detalhamento em setores, atribuição de graus de risco e recomendações para enfrentamento dos problemas. Complementarmente, estão previstas ações de médio prazo visando fomentar a implementação de ações voltadas à prevenção e mitigação de riscos, entre elas:

- a realização de oficina técnica para os técnicos de diversas secretarias municipais relacionadas ao tema prevenção de desastres e gestão de áreas de risco;
- a realização de curso de capacitação de professores da rede municipal para formação de agentes multiplicadores na percepção e reconhecimento de riscos;
- a capacitação de técnicos municipais para a utilização de plataforma SGI-RISCO-IG desenvolvida pelo Instituto Geológico.

A entrega oficial do relatório foi feita pelo Cel. PM Marco Aurélio Alves Pinto (Secretário da Casa Militar do Governo do Estado de São Paulo) ao Prefeito Frederico Guidoni. Representando o Secretário do Meio Ambiente, Sr. Rubens Naman Rizek Junior, esteve presente o Diretor Substituto do Instituto, Pesquisador Científico Cláudio José Ferreira.

Este mapeamento foi realizado por meio do Termo e Cooperação Técnica entre a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), da Casa Militar, e o Instituto Geológico, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e se coaduna com as diretrizes no “Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e de Redução de Riscos Geológicos”.