quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Instituto Geológico apresenta balanço parcial de atendimentos do Plano Preventivo de Defesa Civil Estadual 2016-2017

Atendimento em Francisco Morato

O Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC) entra em operação anualmente, no período de (01/12 à 31/03) por isso também é conhecido como “Operação Chuvas de Verão”. É coordenado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC) e conta com o apoio técnico do Instituto Geológico (IG), instituído por meio de Termo de Cooperação Técnica entre os dois órgãos. Atualmente o plano abrange um total de 175 municípios em diversas regiões do estado.

O PPDC envolve ações de monitoramento dos índices pluviométricos (chuvas), previsão meteorológica, vistorias de campo e atendimentos emergenciais. O Plano está dividido em 4 níveis operacionais: OBSERVAÇÃO, ATENÇÃO, ALERTA E ALERTA MÁXIMO e para cada nível existe uma ação específica para enfrentamento da situação. O PPDC tem um caráter preventivo, com objetivo principal de evitar a ocorrência de mortes, por meio da remoção preventiva e/ou temporária da população que ocupa as áreas de risco, antes que os escorregamentos atinjam suas moradias.

Desde que foi criado em 1989 o PPDC constitui-se em um importante instrumento capaz de subsidiar as ações preventivas dos poderes públicos municipais e estadual, principalmente quando estes buscam soluções de problemas causados pela ocupação de áreas de risco. Também podem ocorrer atendimentos emergenciais a outras localidades que não possuem Planos Preventivos, tendo em vista a prevenção de acidentes, a partir do acionamento e análise do evento por parte da CEDEC e do IG.

As vistorias técnicas implicam em fazer a avaliação das áreas críticas sujeitas a escorregamentos de encosta indicadas pelas Defesas Civis Municipais (COMDECS) de forma a propor a interdição de moradias em risco iminente com necessidade de remoção de moradores. Esta atuação tem por objetivo principal preservar a vida dessas pessoas.

Ocorreram atendimentos em 5 municípios (que operam os planos preventivos) desde que a atual operação do plano entrou em vigor, por solicitação da CEDEC, o IG realizou vistorias em: Francisco Morato (5 áreas), Itapevi (2 áreas), Vargem Grande Paulista (1 área), São Sebastião (1 área) e Bom Jesus dos Perdões (3 áreas). Como balanço parcial dos atendimentos realizados nas 12 áreas constatou-se:

– interdição temporária de 34 casas;

– remoção preventiva de 136 pessoas;

– interdição definitiva de 16 moradias;

– remoção definitiva de 64 pessoas.

Para mais informações acesse o site da Defesa Civil: (http://www.defesacivil.sp.gov.br/)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Instituto Geológico disponibiliza online Boletins históricos da Comissão Geographica e Geologica

Boletins da CGG

No final de 2016 a equipe do Centro de Comunicação Técnico-Científica do Instituto Geológico (IG), em conjunto com o Núcleo Curadoria do Acervo Histórico realizaram a digitalização dos boletins da Comissão Geographica e Geologica (CGG). Ao todo foram digitalizados e disponibilizados 21 boletins que agora poderão ser acessadas por pesquisadores, estudantes e público interessado.

Com recursos próprios, todo o processo de digitalização e edição digital durou aproximadamente um ano. Os boletins ficarão disponíveis no site do IG (http://igeologico.sp.gov.br/publicacoes/boletim-cgg/).

O Boletim foi um periódico editado em fascículos com designação numérica e/ou cronológica, em intervalos pré-fixados (periodicidade), por tempo determinado (1889-1930), com a colaboração de um ou mais autores, tratando de assuntos sobre Geociências e áreas correlatas. Foram publicações de conteúdo técnico-científico com informações baseadas em resultados experimentais, que continham informações, observações de cunho científico e de divulgação emitindo opiniões técnicas dos especialistas apresentadas sob a forma de boletim de fácil leitura.

Criado em 2010 o Núcleo Curadoria do Acervo Histórico tem como objetivo identificar, organizar, descrever, preservar e divulgar o acesso às informações de uma importante documentação relativa aos estudos geocientíficos que nortearam a ocupação do solo no Estado de São Paulo. O arquivo abrange o período entre 1886 e 1975 e seu objetivo maior é permitir o fácil acesso às informações contidas na documentação para pleno uso dos cidadãos e dos pesquisadores.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Mapeamento de áreas de risco de 31 municípios do Estado de São Paulo conta com recursos do BIRD

Área de risco em Taboão da Serra


O Estado de São Paulo e o Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BIRD) firmaram o Contrato de Empréstimo nº 8272-BR, datado de 24 de setembro de 2013, para desenvolver o PROGRAMA DE TRANSPORTE, LOGÍSTICA E MEIO AMBIENTE (PROJETO DE TRANSPORTE SUSTENTÁVEL DO ESTADO DE SÃO PAULO). Parte dos recursos será utilizada para a contratação de instituições visando à prestação de serviços de consultoria, dentre os quais o mapeamento de áreas de risco de 31 municípios localizados na Região Metropolitana de São Paulo e do Litoral Norte. O Instituto Geológico (IG) é um dos órgãos responsáveis pela gestão de riscos ligados a eventos geodinâmicos que envolve o projeto.

O objetivo geral do projeto é promover a incorporação de parâmetros e atributos da gestão de risco de desastres a eventos geodinâmicos nos planos estratégicos, gerenciais e operacionais do Setor de Transportes – ST, bem como promover a eficiente implementação do Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geológicos do Estado de São Paulo – PDN (Decreto 57.512/2011).

As empresas interessadas pela prestação de serviços de consultoria podem entregar a manifestação de interesse até às 16 horas do dia 03/02/2017 (horário de Brasília).

Para maiores informações CLIQUE AQUI ou acesse o site http://igeologico.sp.gov.br/licitacoes-ig/

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Revista do Instituto Geológico no novo Portal de Periódicos Eletrônicos em Geociências

Portal de Revistas do Instituto Geológico

A Revista do Instituto Geológico está disponível para download na nova plataforma do Portal de Periódicos Eletrônicos em Geociências, que utiliza o sistema OJS (Open Journal System), no seguinte link:


As últimas edições da Revista abordam temas relacionados à suscetibilidade e risco a inundação, geodiversidade e geoconservação, palinologia do Quaternário, paleontologia de vertebrados, o flúor nos aquíferos de São Paulo, entre outros.

A Revista foi aceita para compor a base de dados do Scopus (Elsevier), um dos principais indexadores internacionais, o que aumentará sua divulgação no meio científico. Além disso, foi atribuído o DOI para todos os artigos da coleção, desde 1980.

Convidamos todos os colegas a submeterem artigos científicos para a Revista do Instituto Geológico. Serão muito bem-vindos.

Corpo Editorial