sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Pesquisadores do IG são autores de capítulos do livro sobre Redução de Risco de Desastres lançado durante a comemoração dos 41 anos da Defesa Civil Estadual

 Cerimônia em comemoração aos 41 anos da Defesa Civil 
 Secretária-Chefe da Casa Militar e autores do livro
Lídia Keiko Tominaga e Jair Santoro escreveram capítulo no livro 


Durante a comemoração dos 41 anos da Coordenadoria Estadual de defesa Civil de São Paulo em cerimônia realizada no Palácio dos Bandeirantes no dia 23 de fevereiro de 2017, ocorreu o lançamento do livro intitulado: “Redução de risco de desastres – uma construção da resiliência local”, que tem por objetivo fornecer subsídios à gestão de riscos e desastres ambientais. Os quinze capítulos do livro discutem os cenários diferenciados de vulnerabilidade do Brasil e da América Latina em relação aos seus aspectos geográficos, socioeconômicos, culturais e técnico-científicos. Dois deles foram escritos com participação de geólogos do Núcleo de Geologia de Engenharia e Ambiental do Instituto Geológico (IG).

O capítulo 5, escrito em parceria pela geóloga Lídia Keiko Tominaga do IG e pelo geólogo Marcelo Gramani do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), trata da identificação e mapeamento de áreas de risco de desastres naturais e apresenta os conceitos básicos e as análises relacionadas ao perigo e ao risco, e métodos de avaliação e mapeamentos de risco a deslizamentos e inundação aplicados no estado de São Paulo e no País.

Os autores apresentam as definições de desastres naturais e os tipos de eventos associados, como movimentos de massa, erosão, inundações e enxurradas. Descrevem também o processo de mapeamento e análise de risco envolvendo as etapas de avaliação dos perigos potenciais e das condições de vulnerabilidade, os quais podem potencializar a ocorrência de danos às pessoas, bens e propriedades, ao meio ambiente e às atividades econômicas das quais a sociedade depende.

O capítulo 7, escrito em parceria pelos geólogos Jair Santoro do IG e Fabricio Mirandola do IPT, aborda os critérios aplicáveis nas atividades de vistoria e interdição de edificações em áreas de risco, além das implicações jurídicas e administrativas relacionadas a tais ações. Aborda também a definição dos critérios técnicos para a deflagração de ações levando em consideração que a água (e, consequentemente, a chuva) é o principal agente que desencadeia os deslizamentos. As vistorias de campo também são fundamentais nas ações de remoção preventiva das populações que ocupam as áreas de risco. As vistorias de campo são voltadas para a identificação de feições de instabilidade, como trincas nos solos e moradias e inclinações de árvores, postes e muros, e também de outras características como encostas com alta ou baixa declividade, lançamento de água servida, presença de fossas e concentração de água de chuva. O resultado destas vistorias é que indica a necessidade ou não da remoção de moradores quando em situação de risco iminente.

O livro será distribuído às equipes das Defesa Civil dos municípios paulistas e também de outros estados.

Para realizar o download em formato digital CLIQUE AQUI ou no link abaixo:

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Pesquisador do Instituto Geológico ministra sobre cavernas em Curso de Formação de Condutor Ambiental no PETAR

 Aula Teórica no Núcleo Ouro Grosso
Aula Prática na Serra da Boa Vista

O pesquisador científico do Instituto Geológico (IG) Dr. José Antônio Ferrari ministrou aulas durante a oitava edição do Curso de Formação de Condutor Ambiental no PETAR (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira). Ferrari abordou sobre conceitos de geomorfologia e drenagens em sistemas cársticos e explicou ainda sobre as pesquisas do IG em andamento na região do Parque. As aulas foram realizadas no Núcleo Ouro Grosso entre os dias 07 e 09 de fevereiro de 2017.

O curso de difusão da Universidade de São Paulo (USP) começou em 2005 por iniciativa do GGEO (Grupo de Espeleologia da Geologia da USP), conta com a participação de 46 moradores da região e tem duração de 360 horas, das quais 120 são de estágio. Promovido pelo Instituto de Geociências da USP, em parceria a Fundação Florestal (FF), Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, prefeituras de Iporanga e Apiaí. Conta com o apoio do IG, empresas privadas e universidades da região. O principal objetivo é construir uma fundamentação conceitual alicerçada no conhecimento geológico, capacitando os participantes a desenvolver um raciocínio baseado no entendimento de processos geológicos, seus produtos naturais e a percepção das escalas de tempo e espaço envolvidas, a fim de aplicar esses conhecimentos no dia-a-dia da comunidade local, trazendo melhorias de qualidade de vida e ambiental.

Um dos pioneiros na introdução de conceitos da geodiversidade em Unidades de Conservação, o curso teve significativa importância na valorização e disseminação de práticas de preservação e conservação ambiental na região, pois permitiu aos condutores ambientais a valorizarem a cultura local, o ambiente natural e a relação do homem com a natureza, reconhecendo os processos naturais e suas interações.

Sob coordenação geral do Geólogo Dr. Paulo Cesar Boggiani, Prof. do Departamento de Sedimentologia do IGc-USP, o curso contou também com a participação dos geólogos do GGEO Lucas Padoan de Sá Godinho (doutorando do IGc-USP) e Nicolás Misailidis Stríkis (Prof. do Departamento de Geoquímica da Universidade Federal Fluminense).

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Instituto Geológico recebe visita da Secretária-Chefe da Casa Militar

 Diretora Luciana apresentando o histórico do IG
Luciana Martin Rodrigues Ferreira e a Cel. PM Helena dos Santos Reis

No dia 14 de fevereiro de 2017 a secretária-chefe da Casa Militar e Coordenadora Estadual de Defesa Civil (CEDEC), Coronel PM Helena dos Santos Reis, juntamente com o Diretor do Núcleo de Controle da CEDEC, Cap. PM Marcelo Vieira dos Santos estiveram na sede do Instituto Geológico (IG), onde participaram de uma reunião com o Diretora Geral do IG, Luciana Martin Rodrigues Ferreira. Estiveram presentes ainda, a Vice-Diretora do IG, Rosângela do Amaral, a Diretora substituta do Núcleo de Geologia de Engenharia e Ambiental, Lídia Keiko Tominaga e os pesquisadores do grupo de risco Cláudio José Ferreira e Ricardo Vedovello.

O objetivo da reunião foi apresentar as ações sobre prevenção de desastres naturais em andamento no Estado e em suas respectivas instituições, no escopo do Programa Estadual de Prevenção de Desastres e Redução de Riscos Geológicos.

A diretora do IG fez uma breve apresentação do histórico da instituição, destacando as áreas de atuação estratégica e a importância das pesquisas realizadas como subsídio para as políticas públicas, para o ordenamento territorial, e demais demandas governamentais. Entre outros temas abordados durante o encontro, o destaque foi para os Planos Preventivos de Defesa Civil e Planos de Contingência.